Thiago Lobo representa os esportes de prancha

Expoente de uma nova geração de competentes quadros políticos, candidato a deputado estadual vem para defender os interesses do segmento

por Redação Almasurf, 02/10/2018
follow

Ex-secretário municipal de Esportes da capital paulista, Thiago Lobo (PSDB) é expoente de uma nova geração de competentes quadros políticos que vem com tudo nessas eleições.

Candidato a deputado estadual da Almasurf, o paulista foi o responsável pela criação da Coordenadoria de Esportes Radicais na Prefeitura de São Paulo, promoveu a Virada Esportiva, trouxe os X Games, o UFC e a Mega Rampa para a cidade.

Thiago também dá aula de Políticas Públicas na UNIP e desenvolve programas voltados ao empreendedor pelo Sebrae. Entusiasta da Associação Brasileira da Indústria e dos Esportes com Prancha (ABIEP), o professor trocou uma ideia com a equipe da Almasurf.

Vimos no almoço de lançamento da ABIEP na FIESP o seu entusiasmo. Como você avalia a criação da entidade para o segmento?

É extremamente motivadora a criação de uma entidade como a ABIEP para o desenvolvimento dos esportes de prancha no Brasil. A troca de experiências entre diferentes modalidades e suas peculiaridades engrandecem um mercado formado principalmente por empreendedores, que encontram no esporte um mercado em constante mutação e ascensão.

Em parceria com a ABIEP, de que forma é possível estimular o setor junto ao Sebrae?

Em parceria com o Sebrae, a ABIEP terá a disposição tanto a consultoria de especialistas, quanto oportunidades para aperfeiçoamento e qualificação profissional. Incentivo a formalização e abertura para linhas de crédito e estimulo a boas práticas comercias.

Sabemos que a regulamentação dos shapers, laminadores e demais profissionais da cadeia produtiva do segmento é fundamental. Você pode explicar a importância de ter uma cadeia regulamentada e profissionalizada?

O aperfeiçoamento profissional, e a regulamentação dessas atividades traz inúmeros benefícios aos participantes e ao mercado como um todo, pois habilita esse pessoal à uma competição de mercado mais eficiente, tanto em nível local, como regional e até internacional. O mercado só consegue evoluir se tiver em mente a regra dos três: eficiência, eficácia e efetividade. É isso que se assegura com uma cadeia regulamentada.

Como pretende fazer a articulação legislativa para defender os interesses do público, dos atletas e do mercado dos esportes de prancha?

A Assembléia Legislativa não tem nenhum representante dos esportes de prancha, o que interfere negativamente nas decisões (ou falta delas), em relação a essas modalidades. Havendo um deputado para lutar e defender os interesses dessas categorias, é possível dar vez e voz para toda essa comunidade que precisa de apoio tanto na realização de eventos, como na criação de leis e políticas públicas voltadas para os esportes de prancha, sejam eles do surf, skate, bodyboard, snowboard, wakeboard, sandboard, mountainboard e muitas outras que perdem espaço justamente por falta de apoio público. Cada centavo investido no esporte reduz os custos com saúde e segurança e cria uma nação de pessoas saudáveis e através do empreendedorismo gera mais trabalho, renda e riqueza.