Tempestade sem fim

Campeão da Tríplice Coroa Havaiana, paulista Jessé Mendes, expoente da geração brazilian storm, trocou uma ideia com a equipe da Almasurf

por Lucas Conejero, 27/12/2018
follow

Nascido no Guarujá, famosa surf city do litoral sul paulista, Jessé Mendes, 25, estreou na elite do surf mundial em 2018 depois de sete anos de luta em busca de uma vaga entre os tops.

Namorado da surfista Tatiana Weston-Webb, recém-naturalizada brasileira, o paulista finalizou o circuito da WSL numa modesta vigésima oitava posição, mas garantiu sua vaga entre os melhores surfistas do mundo e, de quebra, conquistou a Tríplice Coroa Havaiana, um dos mais cobiçados títulos do surf profissional.

Na entrevista abaixo, Jessé comenta sobre a conquista, fala um pouco da sua relação com a Tati e destaca sua vontade de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

AS Qual a sensação de vencer a Tríplice Coroa Havaiana?

JM A sensação é incrível. Acho que ainda nem caiu a ficha direito. Tem vezes que olho e fico pensando: caramba consegui um título que muito poucas pessoas conseguiram. É um sonho de moleque. Estou muito feliz, não consigo nem explicar.

AS Você mostrou um enorme respeito pelos colegas ao falar da sua conquista…

JM Cresci vendo e me inspirando em muitos desses caras que hoje em dia eu enfrento nas baterias. Tenho muito respeito pelos atletas do circuito, principalmente pelos legends. Todos os surfistas que venceram a Tríplice Coroa eram meus ídolos. Me sinto muito honrado em entrar para esse seleto grupo de surfistas.

AS E a temporada do ano que vem?

JM Acho que o que me impulsiona para o próximo ano é a experiência que ganhei, a bagagem como competidor. Consegui provar para mim que posso vencer em condições boas, com ondas pesadas. É uma energia que vou levar para o ano que vem.

AS E a Tati? Qual a importância dela na sua caminhada?

JM A Tati, além de uma ótima competidora, é meu porto seguro, minha base. Ela está sempre do meu lado, seja nos momentos ruins, seja nos bons. Ela tem muita experiência no circuito e divide todo esse conhecimento comigo.


AS Falta pouco para a estreia do surf nas Olimpíadas. Você tem como meta participar de Tóquio 2020?

JM Com certeza! Trabalho pensando em Tóquio. É onde um atleta pode chegar no patamar mais alto. É a estreia da nossa modalidade nos jogos e estou trabalhando muito para estar entre os selecionados.