WSL confirma calendário “tradicional”

Entidade volta atrás e o CT segue com o mesmo formato e as mesmas etapas de 2018; Finalíssima na Indonésia está descartada por enquanto

por Lucas Conejero, 06/02/2019
follow

Depois de anunciar em setembro do ano passado alterações no calendário e no formato do Circuit Tour 2019, a World Surf League voltou atrás e o circuito mundial segue com o mesmo formato e as mesmas etapas de 2018.

À época, em entrevistas concedidas à mídia especializada, Renato Hickel, diretor geral da entidade, afirmou que o plano seria começar o circuito em fevereiro no Hawaii e terminá-lo em setembro no Tahiti.

Ainda segundo o brasileiro, haveria uma etapa final decisiva com os seis melhores surfistas do ranking masculino e as três ou quatro melhores do ranking feminino na Indonésia.

Pelo menos por enquanto, segundo a assessoria de imprensa do escritório sul-americano da WSL e as informações disponíveis no site da liga mundial de surf, nada disso será colocado em prática.

O WT começa na Austrália em abril e termina no Hawaii em dezembro. Classificam-se para a elite do surf mundial em 2020 os 22 melhores do CT e os dez melhores do QS.

Premiação equiparada

Comandada por Sophie Goldschmidt, primeira CEO da história do surf profissional, a World Surf League implantou a equiparação das premiações entre homens e mulheres no CT 2019.

A iniciativa de vanguarda fez da WSL a única liga esportiva global com sede nos Estados Unidos a promover a igualdade da premiação.

“Este é um passo à frente enorme em nossa estratégia há muito tempo planejada, de elevar o nível do surf feminino, então estamos entusiasmados em assumir esse compromisso já a partir da temporada 2019”, disse a CEO da WSL, que tem no currículo passagens como executiva na Rugby Football Union, na Associação Nacional de Basquete (NBA), na Women’s Tennis Association (WTA) e na Adidas.

Noronha de volta

Outra boa notícia é que o emblemático Hang Loose Pro Contest está de volta para o arquipélago de Fernando de Noronha. O evento terá status 6000 do QS e rola entre 19 e 24 de fevereiro nas potentes e tubulares ondas da Cacimba do Padre.

Seleção Brasileira

Com o bicampeonato de Gabriel Medina, a seleção brasileira de surf chega ainda mais forte à temporada 2019. Onze atletas vão defender a bandeira brasileira entre os principais surfistas do mundo.

A escalação é a seguinte: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Willian Cardoso, Michael Rodrigues, Adriano de Souza, Yago Dora, Jessé Mendes, Jadson André e os estreantes: Peterson Crisanto e Deivid Silva.