Lena Ribeiro faz história no Pan-Americano

Brasileira conquista a primeira medalha de ouro do surf nos jogos continentais ao vencer a SUP Race; Vinnicius Martins fica com a prata da categoria

por Redação CBSurf, 02/08/2019
follow


O Time Brasil fez a festa nesta sexta-feira (2) nas provas de SUP Race nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em Punta Rocas, Peru. Numa chegada empolgante, Lena Guimarães garantiu o primeiro ouro da história da modalidade ao ultrapassar a norte-americana Candice Appleby nos últimos momentos da corrida.

Entre os homens, Vinnicius Martins foi prata, também ganhando uma posição na chegada, num mar desafiador, sobre o peruano Itzel Delgado. O primeiro lugar ficou com o americano Connor Baxter. 



Vale lembrar que o Brasil já tem, pelo menos, um bronze garantido com Chloé Calmon na categoria longboard, mas a atleta aparece como favorita a um novo ouro. Outros três atletas brazucas seguem chances de medalhas, Luiz Diniz e Nicole Pacelli, na SUP Wave, e Wenderson Biludo nos pranchões.

O SUP Race abriu a competição desta sexta-feira e as medalhas foram conquistadas em disputas únicas, com mar agitado e ondulação grande, sobretudo na reta final. Foram cerca de cinco quilômetros em três voltas e a chegada no temido “quebra coco” de Punta Rocas.

As mulheres remaram primeiro e a americana Candice abriu vantagem desde o início. Lena manteve o segundo lugar praticamente toda a prova, mas sofreu uma queda já nos metros finais, permitindo que Mariecarmen Rivera, de Porto Rico, a ultrapassasse. 

O que ninguém esperava era a líder cair a poucos metros da areia e o mesmo aconteceu com Rivera.

Lena também levou mais um caldo, mas levantou rapidamente e seguiu firme para garantir o inédito ouro. Ao chegar, não sabia que tinha conquistado o primeiro lugar e ficou surpresa. 

“Fui para o tudo ou nada e vim capotando. Quando cheguei, pensei devo ser a última, mas não vi ninguém na areia e me deram parabéns. Foi demais. Se participar de um evento como esse já era uma felicidade enorme, ter uma medalha e de ouro não poderia ser melhor”, vibrou a atleta de 38 anos, que mora em Arraial do Cabo (RJ), é mãe de dois filhos, Maui, de 11 anos, e Kauai, de 16, e casada com o técnico da seleção brasileira, Americo Pinheiro.



Tricampeã brasileira, ela é especialista em provas mais longas, mas se preparou nesse tipo de disputa, desde que o SUP Race foi incluído no Pan. “Prova técnica com ondas sempre foi um desafio. Aqui em Punta Rocas o mar é bem pesado, até nas ondas espumadas. Treinei muito nessa condição e deu tudo certo”, contou. “Quero agradecer ao COB e CBsurf por todo o suporte técnico e logístico, meus patrocinadores, amigos e a equipe, sempre na torcida”, disse.

Entre os homens, as ondas também foram decisivas. Connor Baxter remou à frente, Vinni vinha em segundo, mas o atleta da casa ganhou a posição com uma onda. Já no final, o atleta do Brasil deu o troco e quando o rival tentou reagir acabou caindo. 

“A prova foi super dura, acirrada, disputada até o final. Caramba, consegui entrar numa onda no último segundo, segurei o máximo possível e consegui ganhar uma posição. Também estou muito feliz com o ouro da Lena. Foi um dia incrível”, festejou o brasileiro.

Ele lembrou das condições do mar no evento e o excelente nível técnico dos competidores. “Super difíceis, Punta Rocas é desafiador para o SUP, mas só tinha atleta casca grossa e todo mundo fez um ótimo trabalho. Todos aprenderam muito rápido o funcionamento dessa onda, que é dura para o stand up race”, ressaltou o atleta, mandando um abraço para a torcida de Búzios, onde mora.

“Essas medalhas foram muito importantes para o esporte. A equipe de surf do Brasil representando de maneira geral. Eu espero que o esporte continue crescendo. Eu sou apaixonado pelo stand up e espero que mais pessoas possam experimentar e curtir muito isso. É incrível e para todo mundo”, completou.

As disputas de surf e SUP nos Jogos Pan-Americanos de Lima seguem até domingo em Punta Rocas.

Neste sábado, Chloé volta ao mar e pode garantir vaga para a bateria decisiva pelo ouro. 

Luiz Diniz espera seguir repetindo as grandes atuações, como a da última quinta-feira, quando marcou incríveis 17.34 pontos de 20 possíveis, com notas 9,17 e 8,17. 

O Time Brasil está instalado na Casa Surf, criada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), em parceria com a Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), para garantir logística favorável aos atletas e comissão técnica.

 

almasurfalmasurfalmasurfalmasurfalmasurfalmasurf