Medina pede o VAR, Tati garante vaga em Tóquio 2020

Líder do ranking contesta decisão dos juízes e pede nova bateria contra Ibelli em Supertubos; Tati West avança às quartas e fica com a primeira vaga nas Olimpíadas

por Redação Almasurf, 21/10/2019
follow

Líder do ranking do CT 2019, Gabriel Medina cometeu uma interferência em Caio Ibelli e acabou eliminado nas oitavas de final do Meo Rip Curl Pro 2019, encerradas no último sábado (19) em marolas de meio metro no point de Supertubos, Portugal.

Vice-líder do ranking, Filipe Toledo avançou sua bateria e, independente do resultado do evento, levou a decisão do título da temporada para o Pipe Masters no Havaí.

Os outros brasileiros classificados às quartas são Italo Ferreira, ainda segue com chances matemáticas de título, e Peterson Crisanto, que vem surfando muito bem.

Medina pede o VAR

Ao sair da água logo após a derrota, Gabriel foi à sala dos juízes para contestar a decisão. O paulista alega um erro na definição da prioridade e pede para que a bateria seja refeita, como reza o livro de regras da WSL nessas ocasiões (veja a alegação e o vídeo no post abaixo).

Tati nas Olimpíadas

Naturalizada brasileira no ano passado, Tatiana Weston-Webb conquistou no último domingo a primeira classificação do Brasil para a estreia do surf nas Olimpíadas de Toquio 2020 no Japão.

A gaúcha confirmou seu nome com a passagem para as quartas de final do MEO Rip Curl Portugal. “Estou realmente muito empolgada em poder representar o Brasil nas Olimpíadas. É uma grande honra e nem sei o que dizer, mas tenho muito orgulho. Foi o país onde eu nasci e é onde está o meu coração”, comemorou Tati.

Ver essa foto no Instagram

Gostaria de explicar oque aconteceu na minha bateria. Eu e Caio pegamos a mesma onda e cada um foi pra um lado. A minha onda foi mais curta e a dele foi mais longa. Tanto que enquanto eu voltava pro outside, ele ainda estava surfando a onda dele. Quando cheguei no fundo, tinha tanta certeza que a prioridade era minha que não olhei pra a placa de prioridade. Pra minha surpresa, quando veio a onda seguinte, acabei indo porque estava seguro que a prioridade era minha. Acabei levando a interferência. Quando saí da água fui falar com os juizes. Olhamos as imagens abertas, de nós dois voltando remando para o fundo, com um angulo da câmera aberto. Ficou bem claro que eu cheguei bem antes. E mesmo que eu tivesse chegado junto com ele e tivesse um empate, a prioridade seria minha pela regra. Porque na onda que surfamos juntos antes, o Caio tinha a prioridade 1. Tenho a esperança que a minha bateria seja reavaliada pois ocorreu um erro. ll I am still very hopeful that my heat will be reviewed.

Uma publicação compartilhada por G. Medina (@gabrielmedina) em